COP-16

 

COP-18

Mecanismo de Desenvolvimento Limpo evitou emissão de 1 bilhão de toneladas de CO2

Data: 30/11/2012

Por: Redação TN / Rádio ONU Brasil


A Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-18), em Doha, capital do Catar, tem como uma das metas principais discutir a urgência para combater o aquecimento global. O embaixador André Corrêa do Lago, que chefia a missão brasileira, afirmou que o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) é um “instrumento brilhante” para reduzir as emissões de dióxido de carbono (CO2). O dispositivo consta no Protocolo de Kyoto. Segundo ele, os países têm muitas coisas para corrigir, mas devem manter viva a estrutura para que isso possa acontecer. Falando em inglês, Corrêa do Lago afirmou que cerca de 5 mil projetos ambientais aprovados pelo MDL foram responsáveis pela redução de mais de 1 bilhão de toneladas equivalentes de emissões de dióxido de carbono.

 

O embaixador destacou ainda que as negociações estão muito difíceis e que o Brasil está alinhado às posições do G77 + China. O grupo representa os interesses dos países em desenvolvimento. Além do Brasil e da China, fazem parte também África do Sul e Índia. Eles argumentam que os países desenvolvidos devem se comprometer a uma redução maior das emissões de carbono.

 

Temperatura alta

 

A secretária-executiva da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC), Christiana Figueres, comentou a urgência de evitar que a temperatura do planeta aumente mais de 2 graus Celsius até o final do século. Entre os objetivos da COP-18, que termina em 7 de dezembro, está a prorrogação do Protocolo de Kyoto, que expira em 31 de dezembro de 2012.

Voltar


Caderno de Sustentabilidade



Caderno de Sustentabilidade

Download

Twitter-logo Siga no Twitter!

Facebook_icon Siga no Facebook!

Busca:









Parceiros